Unidade de Controle de Zoonoses inspeciona mais 190 mil imóveis no combate à dengue

  • Publicado no dia: 15-12-2020
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    A Prefeitura de Paulo Afonso, por intermédio da Secretaria de Saúde, segue intensificando os trabalhos de combate ao mosquito Aedes Aegypti. As ações fizeram parte da Semana de Mobilização Nacional de Combate, com atividades que foram realizadas no período de 7 a 11 de dezembro em todas as localidades do município. A data serve de alerta para a população sobre a importância de eliminar os criadouros deste inseto.


    De acordo com dados do órgão, relativos ao ano de 2020, até o momento, mais 190 mil imóveis foram inspecionados, o tratamento focal foi realizado em 23.710 residências. Os números apontam que 57.447 locais estiveram fechados no momento da visita, porém 8.220 estabelecimentos ficaram livres da dengue.


    Segundo o coordenador da Unidade de Controle de Zoonoses, Sérgio Malta, apesar das dificuldades encontradas pelos agentes de endemias, devido à pandemia, o trabalho permanece sendo realizado. “Não podemos ir às residências das pessoas que fazem parte do grupo de risco à Covid-19, obedecendo a recomendação do governo federal. Apesar das barreiras encontradas, estamos fazendo a nossa parte, os resultados foram satisfatórios. Agora, a população precisa fazer a sua parte, é preciso ter cuidado redobrado com o acúmulo de água de forma inadequada. Os casos estão diminuindo no município”, explica.


    Ele enfatiza ainda a importância das pessoas autorizarem a entrada dos agentes de endemias em suas residências para tornar o trabalho mais eficaz. “Os agentes estão sempre caracterizados, trajando a camisa da Unidade de Controle de Zoonoses e usando crachá da Prefeitura. É fundamental que os moradores permitam sua entrada no imóvel para que possam realizar seu trabalho”, concluiu.


    O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito da dengue, devido às chuvas e, consequentemente, é a época de maior risco de infecção por dengue, zika e chikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como microcefalia e Guillain-Barré. No entanto, a recomendação do Ministério da Saúde é não descuidar nenhum dia do ano e manter todas as posturas possíveis em ação para prevenir focos.

     

     

    Autor: Ascom/PMPA