Secretaria de Saúde reforça campanha de vacinação contra gripe

  • Publicado no dia: 21-05-2019
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    Faltando poucos dias para o encerramento da campanha de vacinação contra a gripe, a Secretaria Municipal de Saúde chama a atenção da população para a importância de procurar os postos de vacinação até o dia 31 de maio.


    Segundo a coordenadora de imunização, Taís de Menezes, após o início da campanha a procura pela vacina tem diminuído, o que causa preocupação, especialmente com relação às pessoas idosas ou com doenças que as tornam mais vulneráveis, como diabéticos, hipertensos, entre outros. Ainda de acordo com a coordenadora, em Paulo Afonso existem 10.497 pessoas com alguma dessas doenças, mas até agora, apenas 3.605 desse grupo procuraram se vacinar.


    “Pacientes idosos, com problemas renais, hepáticos, respiratórios, assim como diabéticos, hipertensos ou com outras doenças, devem procurar os postos de vacinação para se vacinar. Equipes da Secretaria de Saúde estão fazendo visitas domiciliares, e vacinando os pacientes acamados. É importante que os responsáveis por aqueles que não podem se locomover procurem os postos e solicitem a vacinação porque enviamos a equipe às casas”, adverte.


    A campanha de vacinação foi aberta no dia 10 de abril, com a meta de vacinar 37 mil pessoas, mas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, até agora, apenas 20.188 doses foram aplicadas.  “Ainda temos um longo caminho a percorrer e, para que possamos atingir a meta, solicitamos  às pessoas que fazem parte do público-alvo que  procurem os postos de vacinação”, enfatiza a coordenadora.


    O público-alvo são crianças acima de seis meses e menores de seis anos, gestantes em qualquer período de gravidez, puérperas (até 45 dias após o parto), professores de escolas públicas e privadas, idosos a partir de 60 anos, crianças de cinco a menores de nove anos com doenças crônicas, trabalhadores da saúde dos setores público e privado, povos indígenas a partir de seis meses de idade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos cumprindo medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e/ou condições clínicas especiais com apresentação de prescrição médica (em qualquer idade).

     

     

    Autor: Ascom/PMPA