Secretaria de Saúde intensifica ações de prevenção contra dengue, zika e chicungunha

  • Publicado no dia: 07-01-2020
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    Para mobilizar a população na luta contra o aedes aegypti e garantir que não apareçam novos focos do mosquito, a Prefeitura de Paulo Afonso, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza diversas ações de conscientização sobre o papel de cada um nessa luta.


    Registros de dengue, chikungunya e zika vírus em todo o Brasil em 2019, levaram a administração municipal a intensificar os mutirões para prevenir o surgimento de possíveis focos do mosquito. As ações, que são realizadas durante todo o ano, recebem reforço nos dois últimos meses devido às previsões das chuvas de verão.


    Segundo a coordenadora da Unidade de Controle de Zoonoses, a veterinária Ana Beatriz, o trabalho dos agentes de endemias é realizado com visitas domiciliares e vistorias em reservatórios de água. O objetivo é identificar possíveis focos do aedes aegypti e orientar os moradores para que mantenham as caixas d’água tampadas e evitem acúmulo de objetos que podem se transformar em criadouros.


    “Nos meses de novembro e dezembro, com a previsão das chuvas de verão, nós intensificamos as ações, realizando mutirões nos bairros e alguns povoados. Aproximadamente 70 mil imóveis foram visitados pelos agentes, orientando as pessoas a manter garrafas e vasilhames com a boca virada para baixo, colocar areia nos vasos de plantas, entre outros cuidados para evitar a proliferação do mosquito”, disse a coordenadora.


    Ela enfatiza ainda a importância das pessoas autorizarem a entrada dos agentes de endemias em suas residências para tornar o trabalho mais eficaz. “Os agentes estão sempre caracterizados, trajando a camisa da Unidade de Controle de Zoonoses e usando crachá da Prefeitura. É fundamental que os moradores permitam sua entrada no imóvel para que possam realizar seu trabalho”, concluiu.


    O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito da dengue, devido às chuvas e, consequentemente, é a época de maior risco de infecção por dengue, zika e chikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como microcefalia e Guillain-Barré. No entanto, a recomendação do Ministério da Saúde é não descuidar nenhum dia do ano e manter todas as posturas possíveis em ação para prevenir focos.

    Autor: Ascom/PMPA