Prefeitura e instituições parceiras realizam campanha Agosto Lilás pelo fim da violência contra a mulher

0
AÇÕES
0
VISUALIZAÇÕES
Com o tema “Quem ama não maltrata, não bate, não mata!”, a Secretaria de Desenvolvimento Social, em parceria com o Centro de Referência da Mulher Eudócia Antunes de Assis (CRM), Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Policia Civil, DEAM, Policia Militar e Ronda Maria da Penha  realiza a campanha Agosto Lilás, mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher.
O objetivo é conscientizar a população sobre o tema, promover orientação dos serviços disponíveis às vítimas e ampliar conhecimentos de como auxiliar as mulheres em situação de violência. “É importantíssimo realizar campanhas permanentes para denunciar este tipo de violação. Por isso estamos mobilizando toda a sociedade para o Agosto Lilás”, diz a secretária de Desenvolvimento Social, Cintia Rosena.
Telefones para denuncia:
Central de Atendimento à Mulher: 180
Ronda Maria da Penha: (75) 98862-4799
Centro de Referência da Mulher: (75) 3281-1828
Delegacia Especial de Atendimento à Mulher: (75) 3282-5362
20º Batalhão de Polícia Militar: 190
 
Tipos de violência doméstica e familiar:
Violência Física
É aquela que ofende a integridade ou saúde corporal da mulher, pode ser espancamento, arremessar objetos, chacoalhar os braços, estrangulamento, sufocamento, lesões com objetos cortantes ou perfurantes, ferimentos causados por queimaduras ou armas de fogo, ou ainda, tortura.
Violência Psicológica
É aquela que causa dano emocional e diminuição da autoestima, que prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento da mulher, ou visa degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões. Pode acontecer através de ameaças, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição, insultos, chantagem, exploração, limitação do direito de ir e vir, ridicularização, tirar a liberdade de crença e distorcer e omitir fatos para deixar a mulher em dúvida sobre a sua memória e sanidade. Além desses, existem outros tipos de agressões que violam os direitos humanos e que devem ser delatadas.
A denúncia de violência contra a mulher pode ser feita em delegacias e órgãos especializados, onde a vítima procura amparo e proteção. O Ligue 180, central de atendimento à mulher, funciona 24 horas por dia, é gratuito e confidencial. O canal recebe as denúncias e esclarece dúvidas sobre os diferentes tipos de violência aos quais as mulheres estão sujeitas.