Município é contemplado com Museu de Paulo Afonso, que contará com dispositivos interativos e tecnológicos, através da Lei Rouanet

  • Publicado no dia: 20-12-2022
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    A preservação da história do município e a sua importância na geração de energia elétrica, contará com uma ferramenta para guardar a memória para as futuras gerações – o Museu de Paulo Afonso. O equipamento cultural chegará à capital da energia por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), através do Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC).


    O local reunirá dispositivos interativos e tecnológicos, para abordar assuntos relacionados à história e cultura da região de Paulo Afonso, aliada à relação geográfica com o Rio São Francisco e questões ligadas a sustentabilidade, meio ambiente, uso da água e geração de energia, projetando a região para o futuro.


    Este equipamento cultural, em projeto arquitetônico a ser desenvolvido, deverá contar com teatro/auditório para aproximadamente 350 pessoas e áreas externas destinadas a lazer e entretenimento com um mirante para se observar o entorno.


    O projeto, que será realizado por meio de acordo de cooperação entre a Prefeitura de Paulo Afonso e o Instituto Pedra, teve como incentivador para contemplação do município o ex-deputado federal pelo Estado da Bahia, José Carlos Aleluia. “Por ter uma ligação muito grande com Paulo Afonso, sugeri que este equipamento fosse destinado para o município, uma vez que é cercado de uma grande história; sendo um marco no desenvolvimento da região e, consequentemente do país, com a geração de energia e suas belezas naturais, que são referências”, fala Aleluia.


    O acordo de cooperação é um instrumento por meio do qual são formalizadas as parcerias estabelecidas pela administração pública com organizações da sociedade civil para a consecução de finalidades de interesse público e recíproco que não envolvam a transferência de recursos financeiros, como prevê o Artigo 2º da Lei 13.019/14, do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC).


    À administração municipal caberá a concessão do terreno, com área de 13 mil m². O Instituto Pedra ficará responsável pelo levantamento de recursos financeiros e materiais, através de leis de incentivo fiscal, patrocínio empresarial, editais públicos e privados de fomento à cultura e doações, para a elaboração de projetos de arquitetura e museografia para construção e implantação de equipamento cultural.
    “Acreditamos que o acordo de cooperação permitirá uma soma de esforços muito relevante, entre ambas instituições, para desenvolvimento da cidade de Paulo Afonso através da cultura e da educação”, ressalta o diretor presidente do instituto, Luiz Fernando de Almeida.


    O Instituto Pedra é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que desenvolve ações no campo do patrimônio cultural a partir do propósito de valorizar os bens culturais considerando as suas dimensões simbólica, material e territorial.


    Fundado em 2013, já realizou projetos nos estados de Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo, em parceria com instituições públicas e privadas. Dentre as atividades realizadas, incluem-se projetos arquitetônicos, gerenciamento e supervisão de obras civis de restauração e construção, planos de gestão de equipamentos culturais, gestão de acervos históricos e artísticos, projetos museográficos, publicação de livros, vídeos documentários e programas educativos com oficinas e visitas monitoradas. A maior parte desses projetos foram realizados através de programas de fomento à cultura, como a própria Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), através do PRONAC.

    Autor: Ascom/PMPA