Mulheres vítimas de violência contam com rede de proteção da Sedes em parceria com órgãos diversos

  • Publicado no dia: 17-03-2022
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    As mulheres vítimas de violência em Paulo Afonso contam com uma rede de proteção que preza pela sua integridade e saúde mental. Por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), em parceria com órgãos diversos, essa parcela do público feminino recebe acompanhamento e todo o apoio necessário para vencer o trauma.


    O trabalho é realizado em conjunto com a Delegacia Especializada da Mulher (DEAM), Ronda Maria da Penha (RMP), do 20º Batalhão, e o Conselho da Mulher (CMDM). Na Sedes, o órgão de referência para o acolhimento é o Centro de Referência da Mulher Eudócia Antunes de Assis, onde é ofertado um trabalho realizado por psicóloga, assessoria jurídica e equipe treinada para lidar com os casos de violência.


    “Aqui fazemos a escuta, o aconselhamento, a orientação jurídica, incentivamos o empoderamento feminino, por meio de oficinas para que essas mulheres possam ter uma geração de renda, tendo em vista que muitas delas dependem financeiramente dos companheiros, o que dificulta a saída do lar onde a mesma sofre a violência. Nosso papel é a proteção”, diz a coordenadora do CRM, Iluska Querino.


    Ela explica que em alguns casos, as mulheres precisam se deslocar para outra cidade, e a Sedes dá todo apoio na aquisição da passagem para o deslocamento e acompanhamento com Assistente Social.


    A secretária Cíntia Rosena ressalta a parceria com a DEAM, CMDM e Ronda Maria da Penha. Ela explica que, inclusive, um posto da Ronda está instalado no CRM, e as mulheres podem fazer a denúncia diretamente ou ligando para o 3281- 1828, Ramal 25. “Essa rede de proteção só é possível graças a essa parceria e nós somos muito gratas pelo trabalho desenvolvido”, fala Cíntia, que enfatiza também que as mulheres podem denunciar por meio do Centro de Referência da Assistência Social, os CRAS.


    “Temos CRAS em todos os bairros do município e eles também pode ser um meio da mulher pedir ajuda e ser encaminhada ao órgão responsável. O que queremos frisar é que as mulheres vítimas de violência não estão sozinhas e que Paulo Afonso tem essa responsabilidade com essa rede de proteção”, explica Cíntia.


    No Brasil, durante a pandemia, os casos de violência cresceram bastante, aumentando 34% o número de chamadas do Disk Denúncia. No município, o CRM atendeu em 2020, 140 mulheres; em 2021 179 e até o momento deste ano, 21. O acompanhamento é feito atualmente com 572 mulheres. “Não tenham medo, denunciem! Estamos aqui para ouvir e proteger”, fala Iluska.


    Mulher vítima de violência – você não está sozinha! Denuncie


    Disque Denúncia – 180
    CRM – (75) 3281-1828
    CMDM – (75) 3281-2684
    DEAM – (75) 3282-5362
    Ronda Maria da Penha – (75) 3281-1828 – Ramal 25

    Autor: Ascom/PMPA