HNAS: custeio da unidade hospitalar pela Prefeitura causa impacto nas finanças do município

0
AÇÕES
0
VISUALIZAÇÕES

O Hospital Nair Alves de Souza (HNAS), fundado há mais de 40 anos pela Chesf, traz uma trajetória de grande relevância na história da saúde pública do município. Custeado tripartite, Estado, Federação e pela Prefeitura de Paulo Afonso desde 2021, a unidade de saúde atualmente funciona com investimento de cerca 70% do custeio por verba municipal, causando um grande impacto nas contas do município.

De acordo com a gestora do HNAS, Renata Fernandes, mensalmente os custos com a unidade hospitalar gira em torno de R$ 3,5 milhões a unidade atende não só pacientes pauloafonsinos, mas de uma região de Saúde composta de municípios de diversos estados circunvizinhos, como Alagoas, Sergipe, Pernambuco e cidades da Bahia que vivem no entorno.

“Devido a uma decisão judicial, a Prefeitura está financiando a grande parte do custeio com o HNAS desde 2021 e isso tem causado um grande impacto financeiro, por ser uma unidade de média complexidade, uma vez que 70% do custeio é feito pela Prefeitura, e ainda atendendo a diversos municípios não pactuados. A administração municipal ainda financia 100% da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), nossa porta de entrada de urgência e emergência de adultos, que funciona ao lado do Nair e atende também toda a região circunvizinha”, diz Renata.

O hospital possui as quatro clínicas básicas: cirúrgica, clínica médica, maternidade e pediatria, com 120 leitos cadastrados pelo SUS. Renata reforça que apesar das dificuldades enfrentadas, conta com uma equipe de profissionais que realizaram diversos atendimentos durante 2023, de janeiro a novembro. Foram em média 4.267 cirurgias; 23 mil Raio X; 3 mil ultrassonografia e mais de 56 mil exames laboratoriais.

“Temos um corpo multiprofissional dedicado que atende a população de forma humanizada. São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, farmacêutico, nutricionistas, biomédicos, técnicos de laboratórios e a parte administrativa, que tem uma grande quantidade de funcionários para fazer esse hospital funcionar, onde gostaria de agradecer pelo empenho em meio a tanta dificuldade”.

 

Ebserh

Durante uma viagem a Brasília, o prefeito em exercício, Marcondes Francisco, tratou sobre o Hospital Nair Alves de Souza (HNAS), no que se refere a transferência da unidade de saúde para a Univasf e a Ebserh.

Na audiência com o Ministro da Educação, Camilo Santana, e o presidente da Ebserh, Arthur Chioro, o prefeito apresentou os documentos que comprovam que o HNAS é de propriedade da Univasf, bem como demonstrou que a referida Unidade Hospitalar já integra a Rede de Hospitais Universitários Federais, e na oportunidade repassou o número do processo administrativo que tramitou no Ministério da Educação (MEC) para tal finalidade.

Marcondes ainda  externou que os alunos do curso de medicina já se utilizam do HNAS para realização de estágio, apresentando Termo de Convênio firmando entre a Univasf e o Município de Paulo Afonso, além da comprovação da existência do valor de R$ 45 milhões já disponibilizados para a reforma e adaptação do Hospital ao perfil universitário.

Ainda no mês de agosto, uma equipe da Ebserh esteve em Paulo Afonso , selando o andamento da transferência do HNAS para a empresa. Para concretizar a tramitação, os representantes estiveram percorrendo a unidade hospitalar nos últimos dias para elaboração de relatório técnico e assinar o contrato e as obras.

Estiveram em Paulo Afonso o assessor da presidência da Ebserh, José Santana; o Coordenador de Gestão de Rede da Vice Presidência, Adriano Sousa e Pedro Moura, Arquiteto Hospitalar da Diretoria de Administração e Infraestrutura.

Na conversa, Marcondes expôs a dura realidade enfrentada pelo município em custear as despesas de um hospital que atende não só Paulo Afonso, mas a região. “Estamos no limite porque todo o atendimento da região, não só de Paulo Afonso, é realizado no Nair e não temos como arcar essa despesa. Ter os senhores aqui hoje é um alento de que essa transferência será  concretizada em breve”, diz.

O assessor Pedro reforçou que a passagem do Nair para a Ebserh é uma realidade. “Viemos aqui com a missão de resolver e Paulo Afonso e o Nair são as prioridades da Ebserh, Podemos dizer, prefeito, que essa transferência é sim uma realidade”, enfatizou.

Eles falaram sobre o trabalho desenvolvido no hospital e a entrega dos profissionais para atender a grande demanda. “Estamos impressionados com a o que é ofertado para a população, que apesar da grande demanda, são dezenas de serviços realizados”, disse Adriano. Na oportunidade, Marcondes solicitou ao grupo que seja célere na resolução da demanda burocrática e que possa resolver em menor tempo possível.