Dia da Criança Especial: pais contam histórias de superação e agradecem atendimento disponibilizado pela Prefeitura

  • Publicado no dia: 09-12-2019
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    O dia 9 de dezembro é marcado pelo Dia da Criança Especial. A data reforça o compromisso da realização de políticas públicas que insiram essas pessoas na sociedade, ofertando instrumentos e recursos que possam contribuir com a inclusão.


    Em Paulo Afonso, essas crianças com necessidades especiais são amplamente assistidas pelos programas e espaços disponibilizados para atendimento especializado, ofertados pela Prefeitura de Paulo Afonso. As Salas de Recursos, disponíveis em oito escolas, atendem 560 alunos da rede municipal de ensino.


    “O atendimento realizado nestas salas têm contribuído com o crescimento dessas crianças, tanto pedagógico, quanto na questão da humanização. Seguimos a normativa da Política Pública Nacional da Educação Especial, que tipifica como fator fundamental a inclusão de alunos que necessitem de atividades voltadas para o desenvolvimento. Vê-los se desenvolvendo é muito gratificante”, afirma a secretária de Educação Elza Brito.


    A psicopedagoga Flávia Coelho explica que o trabalho desenvolvido na Sala de Recursos é feito em parceria com a regular. “É um trabalho de adaptação de material, além de iniciar a independência e autonomia da criança, e junto a eles, ajudá-los a vencer as limitações e estimular as habilidades por eles apresentadas”, diz.


    Érica Cristiane tem um filho que foi diagnosticado com autismo. Ele estuda na Escola Guiomar Pereira e, de acordo com a mesma, o trabalho realizado é de extrema importância para o seu desenvolvimento. “Ele está se desenvolvendo muito bem, graças ao atendimento da escola. Em casa, o comportamento dele está diferente, tudo graças ao acompanhamento. Estou muito feliz e agradecida”, relata.


    Os locais têm como proposta trazer uma estrutura que contempla estratégias, recursos, bem como ações que promovam aos alunos com alguma necessidade específica a acessibilidade ao contexto escolar. As escolas que dispõem das Salas de Recursos são: Rivadalva de Carvalho, João Bosco Ribeiro, Guiomar Pereira, Manoel Nascimento Neto, Vinícius de Morais, Centro Educacional Municipal de Paulo Afonso (Cempa), Casa da Criança II e Georgina Alves.


    Abraão é filho de Fernanda e também foi diagnosticado com autismo. Ela diz que tinha receio de colocá-lo numa escola por ter medo e, após o atendimento da Sala de Recursos da Escola Georgina Alves, no BTN III, ele começou a desenvolver-se.


    “Eu achava que ninguém poderia cuidar dele. Daí, eu deixei de viver minha vida, para viver a dele. Aqui no Georgina, em tão pouco tempo, ele se adaptou e eu voltei a ter uma vida menos corrida. Hoje em dia, meu filho é outra criança. Sou muito grata ao trabalho desenvolvido pela gestão municipal”, aborda.


    Núcleo Desenvolver

    Outro projeto que contribui com o desenvolvimento das crianças especiais é o Núcleo Desenvolver. Inaugurado em outubro de 2018, o local atende a pacientes com autismo, hiperatividade e outras doenças psíquicas, moderadas e severas, que afetam o funcionamento do corpo, da mente, e das relações sociais da criança. Todo tratamento é realizado com recursos próprios do município.

    O local atende crianças de 2 a 12 anos e, atualmente, são 300 pacientes. Todo o tratamento é realizado com recursos próprios do município e a casa onde está implantado o núcleo tem toda a infraestrutura adequada para a acomodação das crianças e seus acompanhantes. São sete salas de atendimento individualizado, área de recreação, área de convivência, sala de atendimento coletivo, sala de palestras, copa, cozinha e piscina.


    “Este é um trabalho diferenciado ofertado pela Prefeitura de Paulo Afonso que tem modificado a vida de 300 crianças. Temos uma equipe completa, com profissionais adequados e capacitados, com toda a infraestrutura necessária para bem atender”, fala a coordenadora do núcleo, Flávia Lima,
    A unidade conta com uma equipe especializada, com profissionais altamente capacitados para o atendimento – psiquiatra, assistente social, psicólogas, fonoaudiólogas, fisioterapeutas, terapeuta ocupacional, psicopedagogas, nutricionista enfermeira, técnico de enfermagem, farmacêutica, recepcionistas, auxiliares de higienização e vigilantes.

     

     

     

     

    Autor: Ascom/PMPA