Apresentação do Projeto Circo Depende de Nós marca Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil

  • Publicado no dia: 13-06-2013
  • 0
    AÇÕES
    0
    VISUALIZAÇÕES

    Mais uma noite de festa e alegria chamou a comunidade a participar da apresentação do Projeto Circo Depende de Nós, realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, que aconteceu nesta quarta-feira, 12, na Praça do BTN II.

    O evento tem como objetivo chamar a atenção da comunidade para o enfrentamento à violência e à exploração sexual de crianças e adolescentes; combate ao trabalho infantil e prevenção ao uso de drogas.

    “Nossa preocupação, enquanto gestores públicos e cidadãos, é que tenhamos a tarefa de defender as camadas mais vulneráveis para que as Leis que garantem o bem-estar dessas pessoas sejam cumpridas. Por isso, nossa Secretaria tem desenvolvido vários programas voltados especificamente para as crianças e adolescentes do Município, visando a mantê-los na escola, praticando esportes e longe de caminhos que possam causar danos a si próprios, à família e à sociedade”, ressaltou a secretária de Desenvolvimento Social, Ana Clara Moreira.

    O projeto, que tem como tema “Um espetáculo a favor da vida das crianças e adolescentes”, reuniu apresentações de artes cênicas, circenses, teatro, dança e música. Os artistas do “Circo Depende de Nós” são crianças e adolescentes da Rede Socioassistencial do Município, inseridos nos serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – PETI, ProJovem, CRAS, CREAS e das instituições de acolhimento , como as casas de passagem Menina Flor e Meninos da Terra.

    O Projeto Circo Depende de Nós marcou a passagem pelo Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, celebrado neste 12 de junho. O Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil é uma data comemorativa criada pela Organização Internacional do Trabalho em 2002. No dia 12 de junho diferentes entidades tentam alertar a sociedade em geral para a realidade do trabalho infantil que continua acontecendo não só no Brasil, mas em vários outros países do mundo.

    Autor: ASCOM / PMPA